Andrey do Amaral: agente literário, autor, professor de literatura

Minha foto
Brasília, Distrito Federal, Brazil
Andrey do Amaral (1976), professor de literatura, licenciado em Letras com pós-graduação em Língua Portuguesa, Gestão Cultural, Educação a Distância, Acessibilidade Cultural e um MBA em Marketing. Com seu trabalho, recebeu — entre outros — prêmios da Fundação Biblioteca Nacional (2002), Ministério da Cultura (2008), Fundação Casa de Rui Barbosa (2010), Letras Nordestinas (2011). Além destes, a Vara de Infância e Juventude do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) concedeu-lhe um prêmio por suas iniciativas de projetos socioculturais (2014). Seus livros autorais foram publicados pela editora Ciência Moderna. Dedica-se à pesquisa da vida/obra do poeta paraibano Augusto dos Anjos. Presta consultoria sobre projetos sociais e editoriais, desenvolvendo produtos nessas áreas. Trabalhou nas Diretorias de Direitos Intelectuais e de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas, ambas do MinC. É parecerista de projetos culturais do Ministério da Cultura, das Secretarias de Cultura do Distrito Federal e do Estado do Mato Grosso do Sul e dos municípios de Uruaçu-GO, Campo Grande-MS e Lages-SC. É também agente literário de grandes autores nacionais.

O que fazemos?

Venda de livros. Agenciamento literário sustentável, pensando em acessibilidade e no fomento cultural. Consultoria e representação. Promoções, matérias, reportagens, indicações, nossos autores agenciados, licitações, prêmios literários, orientação, dicas sobre publicação e muito mais.

Clique no banner e compre na Livraria Cultura

terça-feira, 28 de julho de 2015

Programa Mais Cultura nas Universidades


O Mapa Estratégico do Ministério da Cultura para o período de 2015-2018 traz como norte “A Cultura como dimensão essencial do desenvolvimento”. Sendo assim, pensamos que nossa imensa diversidade cultural de um país continental como o Brasil precisa ser preservada, difundida e fomentada. Essa é a premissa do Programa Mais Cultura nas Universidades, que teve adesão quase total de proponentes da rede de Instituições Federais e Ensino Superior (IFES).

Se “promover o desenvolvimento cultural e artístico, garantir os direitos culturais e fortalecer a economia da cultura” são objetivos a conquistar, isso está bastante alinhado com a missão da Secretaria de Educação e Formação Artístico-Cultural (SEFAC), a nova Secretaria do MinC que promoverá a cultura como um vetor estratégico, tanto quanto pelo ponto de vista econômico quanto também pelo social. A SEFAC desenvolverá programas e projetos que garantirão a existência de condições para ações com finalidades artísticas, culturais, sociais e educativas, promovendo o incentivo e a promoção de atividades de modo que elas se tornem hábitos para a sociedade como modo de transformação e reflexão. Acreditamos que essas ações irão gerar trabalho, emprego e renda, especialmente para minorias carentes em áreas mais vulneráveis socialmente.

Importante também destacar a valorização dos saberes e fazeres como propulsor de conhecimento e, ao mesmo tempo, mecanismo de disseminação da nossa história por meio dos mestres. O desenvolvimento de ações nas áreas de arte, cultura e educação com atividades dentro e fora do ambiente acadêmico – mesclando conhecimento formal com o não formal – possibilitará fomentar o mercado cultural, gerando renda e formando artistas e plateia. Isso desencadeará a consciência de que a cultura não se restringe apenas a eventos e sim a um conceito para se transformar em habitualidade.

A Chamada Pública selecionou 18 instituições das cinco regiões do Brasil que farão circular cultura em diversas linguagens, formar e capacitar professores e agentes de cultura, criar incubadoras e arranjos produtivos locais, desenvolver novos cursos de produção e gestão cultural, promover festivais nacionais e internacionais e outros eventos.

O Programa Mais Cultura nas Universidades incentiva a criação, o desenvolvimento e a execução de Planos de Cultura, apoiando a formação e a inovação em arte e cultura, a fim de atender demandas locais e regionais em uma grande ação interministerial que impulsionará a formação no campo das artes e da cultura em consonância com o Plano Nacional de Educação, do MEC, e do Plano Nacional de Cultura, do MinC. Isso fortalece a institucionalização da gestão cultural tanto dos Ministérios da Cultura e da Educação como também nas instituições participantes do Programa.

Andrey do Amaral

PUBLICIDADE: Compre no Submarino clicando aqui